Primeira da fila no Bumbódromo de Parintins é torcedora do Caprichoso e mantém tradição há 10 anos: 'meu boi me dá força', diz

  • 22/06/2024
(Foto: Reprodução)
Vendedora mantém tradição após sofrer um grave acidente em 2013, que causou a morte do marido e a deixou com fraturas na bacia. Primeira da fila no Bumbódromo de Parintins é torcedora do Caprichoso e mantém tradição há 10 anos Reprodução Mantendo uma tradição que já dura uma década, a vendedora Cristiane Rodrigues Ferreira, é a primeira a chegar no Bumbódromo para prestigiar o Festival de Parintins, no interior do Amazonas. Para a torcedora do Boi Caprichoso, o feito não apenas representa dedicação ao bumbá, mas também um ato de inspiração. "Meu boi me dá força", disse ela em entrevista à Rede Amazônica. 📲 Participe do canal do g1 AM no WhatsApp A 57ª edição do Festival Folclórico de Parintins será realizada no próximo fim de semana, nos dias 28, 29 e 30 de junho. A festa que mobiliza brincantes de todos os municípios do estado e também torcedores de outras regiões do país, envolve um amor pelos bois Caprichoso e Garantido. Um exemplo dessa paixão é Cristiane Rodrigues, que chegou uma semana antes do início oficial do festival para garantir a presença e torcida. “Nós somos um item, um item 19. A gente tem que torcer, tem que dar força para nosso boi se apresentar melhor dentro da arena”, adiantou ela à Rede Amazônica. Para Cristiane, a dedicação ao Caprichoso não é apenas uma questão de assistir ao festival. A vendedora contou que após sofrer um grave acidente em 2013, que causou a morte do marido e a deixou com fraturas na bacia, ela encontrou no boi a inspiração para superar as adversidades. "Pelo amor ao boi, eu disse que voltaria a andar, subiria aquela arquibancada e seria a primeira da fila no ano seguinte. E assim foi, desde 2014", destacou ela com orgulho. LEIA MAIS: Alegorias tomam entorno do bumbódromo de Parintins no AM Festival de Parintins: conheça mais sobre o maior espetáculo folclórico a céu aberto do mundo Mudança na transmissão do Festival de Parintins A vendedora explicou que para conseguir isso, ela conta com a ajuda de um grupo de amigos e familiares que fazem revezamento. "Cheguei ontem e ainda não tinha ninguém para revezar comigo, mas já vieram amigos que ficaram até 5 horas da manhã. A partir de hoje, começa o revezamento. Assim, podemos descansar um pouco", disse. Cristiane Rodrigues, primeira da fila do Bumbódromo de Parintins Reprodução A torcedora da nação azul e branca enfantizou ainda a importância da colaboração, especialmente para amigos que vêm de outras cidades e estados. "Tem gente de vários lugares, principalmente de Barreirinhas. A gente conversa no grupo, manda um amigo ou parente vir para segurar a vaga, trazer lanche ou comida. Outros chegam hoje, amanhã, ou só na quarta-feira, mas sempre tem alguém ajudando", explicou. Mesmo com a intensa rotina de revezamento, hoje, Cristiane se prepara para acompanhar o 'Boi de Rua' sem deixar o posto em frente ao Bumbódromo. "Não vou perder o 'Boi de Rua'. Ele vai passar bem aqui, e eu estarei esperando", completou a vendedora. *Com informações de Jean Beltrão da Rede Amazônica. Vídeos mais assistidos do Amazonas

FONTE: https://g1.globo.com/am/amazonas/festival-de-parintins/noticia/2024/06/22/primeira-da-fila-no-bumbodromo-de-parintins-e-torcedora-do-caprichoso-e-mantem-tradicao-ha-10-anos-meu-boi-me-da-forca-diz.ghtml


#Compartilhe

Aplicativos


Locutor no Ar

Peça Sua Música

Anunciantes